Música em Theresienstadt "Holocausto"
Objetivos de Desenvolvimento Sustentável

Recordar Theresienstadt é olhar para um passado, não muito longínquo, que envergonha a humanidade, mas que é também um exemplo de como a arte pode desabrochar no pior cenário imaginável.

Ao mesmo tempo, Theresientadt, sendo um campo de fachada cultural, mostra-nos um lado geralmente desconhecido do holocausto.

Aqui, os artistas escreviam música, peças de teatro com o objectivo principal de sobreviver, e as suas apresentações eram usadas em filmes de propaganda nazis. Há também artistas que encontravam outras razões para criar arte neste campo.

Viktor Ulmann e Ilse Weber são dois exemplos de artistas que conheceram o auge na sua produção artística em Theresienstadt - por razões completamente antagónicas - e cuja música daremos a conhecer.

Há também crianças, muitas crianças, envolvidas nas actividades musicais, nomeadamente na ópera “Brundibar”, apresentada mais de 50 vezes.


Este concerto didático pretende dar a conhecer aos alunos do secundário um pouco do que foi a prática musical deste campo de concentração peculiar, sensibilizá-los para a arte e tocá-los com todas as emoções que esta música, imaginada e tocada num cenário de morte, encerra.